Seg 30/08 - Segundo dia

“Rosa vermelha, rosa amarela, quero um botão de rosa pra por no cabelo dela” (Facamolada)

Eram 5h30 e o Henri (cachorrinho Akita) acordava nosso companheiro Johnny a base de largas lambidas, vale a pena citar (ainda que ele não vá ler) que o que o Henri tem de enorme tem de dócil, confesso que fiquei tentado a montar nele, como no clássico história sem fim, contudo a Márcia e Cesar (acolhedores pais da Anika) não iriam gostar muito. Tomamos um café reforçado, e nos despedimos pra seguir rumo a Araxá-MG.

Jair, Livia, Doan Márcia, Vitor, Deyse e Johhny fotografando!


Na saída da casa da Anika aproveitamos pra montar nosso aparato de personalização do “Cuervo Blanco” (nosso algo-móvel), então depois de alguns cálculos avançados, matrizes complexas com integrais e derivadas compostas, prendemos nossa bandeira do Brasil com barbante na parte de tras do bixinho e pegamos a estrada.

O companheiro Jair precisava enviar um fax pra Maria (sua esposa) pra resolver uma questão sobre a carteirinha do albergue da juventude, por isso resolvemos dar uma paradinha estratégica no aeroporto de Ribeirão Preto (Salve Matheus e Flávia), pois acreditávamos ser possível passar o fax e comprar créditos pro celular do Johnny.

Estacionamos El Cuervo e ao perguntar na mesa de informações sobre serviço de fax fomos informados que não tinha nenhum serviço ali de passar fax...ai ai ai, que probleminha desagradável, foi quando nosso companheiro Vitor, empunhando sua vistosa e mística barba (um dia descobriremos o segredo épico relacionado a essa barba) resolveu dialogar com uma simpática mocinha que trabalha na Localiza (locadora de automóveis)  após contar resumidamente a aventura que estavam fazendo (e já amigo da menina) convenceu-a a passar o fax pro Jair sem nenhum custo.

Agradecimento feito, ouvimos anunciar no sistema de auto-falantes do aeroporto: "Por favor proprietário do veiculo Ranger, placa x, comparecer ao balcão de informações" bem, era o nosso Cuervo que estava tendo seu momento de fama, agora ele começara a ser conhecido pela legião de passageiros que  ocupavam o saguão de embarque do aeroporto de Ribeirão.

A notícia era que havíamos deixado a chave na fechadura da porta do motorista, como o Vitor tinha conseguido a coisa do fax, aliviamos a bronca, rimos, demos graças e louvores por não terem levado o bixinho e voltamos pra estrada.

Nisso o Jair diz que daria de tudo por uma piscininha com água gelada naquele momento, não tínhamos piscina, mas, tínhamos uma garrafinha de água, mas, ao pegá-la percebemos que o rapaziinho do evento da chave e do fax não fechou muito bem a garrafa da última vez e El Cuervo tinha uma pequena Jacuzi na parte de traz particular para o Johnny... He He He.


 

Ja na estrada avistamos ao longe um redemoinho bem grande que vinha bem na nossa direção, foi então que percebemos que aquela formação era uma obra rara da natureza, por se tratar de uma manada de sacis silvestres montados em seus Guaxinins terrestres.

O rapaz do pedágio tentou disfarçar e disse que era resultado da aragem da terra feita pela indústria da cana, mas isso era apenas desculpa dos nativos pra que o mundo não descobrisse esse tesouro da fauna que guardam.






 
Horas deppois de estrada e caminho de Araxá (MG) paramos pra colher um pouco da terra por onde estávamos passando (ah...os exóticos bem sabem o valor que isso tem, mão-com-mão companheiros) enquanto o Johnny interagia com os caminhoneiros estimulando-os a buzinar. (“É bom andar a pé, sem sapato, sem direção a toa”).



Logo depois avistamos uma graciosa e poética imagem, contra o sol, na encruzilhada ligando nada a lugar algum, a silhueta de um senhor de chapéu junto com uma grande árvore, paramos pra uma foto e seguimos (ah...a companheira Deyse tira as fotos que mais gosta  com uma máquina de filme, dessas que se revela o negativo e pega o resultado dias depois).

Passando nas estradas vimos cenas não muito belas, queimadas por todo caminho e muita vegetação destruída..fizemos um momento de silêncio....
Nesse trajeto todo o Vitor já se sentia um Az no volante, estava dirigindo (voluntariamente) desde a saída de São Paulo e arriscou algumas manobras ousadas nas vazias vias por onde estavam passando (mãe fica tranquila).

Eis que finalmente (lá pelas 15h00) chegamos a Araxá (MG) e fomos recepcionados pela placa que segue:



Em minutos já na família do Johnny,atacamos a comidinha caseira mineira e descobrimos um segredo do Johnny, ele toma pílulas de nanicolina, pois toda a família dele é gigante, e diretamente proporcional ao tamanho físico é a grandiosidade da generosidade, simplicidade e carinho que nos trataram.

Jair e Vitor

Conhecemos a história do nome do novo membro da familia (Lane Ketelyn) ...hehe (Essa foi ótima Paulão). Propusemos a Dona Nilza (membro mais experiente da família) uma oração, ela logo aceitou e foi nos contando sobre as 10 cirurgias por que já passou e segue mais forte que os 4 dessa viagem.

Em minutos a casa estava cheia pra oração tinha vizinho de cima, de baixo, da família da outra casa, da banda da igreja e todos rezamos o oficio divino da juventude, diferentemente do dia anterior, quando o Vitor conduziu a oração, dessa vez o Jair de forma terna nos conduziu a orar... Vale lembrar o resgate que a Deyse fez:

"Deus é amor, arrisquemos viver por amor. Deus é amor Ele afasta o medo"



Em seguida nos rendemos ao pastelzinho da Dona Nilza e ainda levamos biscoitinhos caseiros mineiros que estamos degustando agora ...hummmmmmm
Com o coração na mão, seguimos rumo a Goiânia (GO) agora sob a direção do Jair.


Atrás: Paulo, Elaine, Romeu e Marcos / frente: Deyse, Johnny, Jair e Vitor

Enquanto escrevia esse texto passamos, acidentalmente por cima de um animalzinho desatento no meio da rodovia... novo momento de silêncio. O Jair brigou com o GPS e a Deyse destacou que seu cabelo começava a parecer um ninho de Mafagafos..

Comentem!

Axé!!

Read Users' Comments (5)

5 Response to "Seg 30/08 - Segundo dia"

  1. Alessandra Zanchetta, on 1 de setembro de 2010 13:17 said:

    Oie!!!
    Ai q vontade de estar ai com vcs!!!
    Aproveitem...Deus abençoe!
    bjusssss grandes pra todos!!!

  2. Evandro Estevão, on 1 de setembro de 2010 13:27 said:

    Isso ae Pessoal, fazendo rastro e história!!!
    Só tomem cuidado para os próximos redemoinhos não levarem o Johnny pra passear de Guaxinins... hehe

    Só uma pergunta, quem fez os cálculos? hehe

    Forte abraço e boa viagem
    Chapolim

  3. tatazinha, on 2 de setembro de 2010 02:09 said:

    Oi galerinha a viagem ta boa em ?
    ha que vontade de estar ai com vcs
    Aproveitem muito!!
    kkk!
    haaa
    Vitor toma cuidado com a chave em
    nao vai deixar na fechadura dinovo !!
    rsrsrs!
    uma otima viagem
    beijao
    axé pra vcs!

  4. Nati Oliveira, on 10 de setembro de 2010 00:00 said:

    AI que viagem maravilhosa... Cada relato, cada historia, cada lembrança me faz sentir o mesmo que vocês... Me sinto parte dessa viagem e tenho certeza de que todos que passam por aqui sentem o mesmo...
    Saudades masters...

    Apesar de ainda não conhecer todos os integrantes desta viagem já amo cada um pela coragem de seguir em frente nesta que é uma missão e caminhada pela juventude.
    Bjos. Nati (IPJ)

  5. Nati Oliveira, on 10 de setembro de 2010 00:01 said:

    Ps: Jhonny... Não esquece as minhas encomendas... kkkkk
    Te amo amigo lindo... Saudadesssss

Postar um comentário

Entrou na roda com a gente

Girando pelo mundo...